Seguidores

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Br-163 -Governo Atende indígenas e Rodovia é liberada parcialmente



Bloqueio por índios e sem terra  continua em Novo Progresso
Rodovia interditada


Desde a última terça-feira (16), indígenas da etnia Caiapó e Sem Terra liderado pelo SITRAF bloquearam a rodovia na saída da cidade de Novo Progresso sentido Cuiaba/Santarém.



As reivindicações dos indígenas foi atendido na tarde desta quarta-feira (24), através de documento da presidência da Funai confirmando o desligamento da CTA de Novo Progresso que pertencia a CR de Tucumã para CR da Funai da cidade  de Itaituba. De posse deste documento os indígenas liberaram a rodovia a  partir das 15h00min e anunciaram que  as 19h00mn estaria fechada para um novo manifesto. 
caminhões fecharam o perímetro urbano da cidade



Novo Manifesto



Conforme anunciou o cacique caiapó "Doto" que estão felizes com a decisão da FUNAI, agradeceu o apoio da população , mas agora eles vão continuar bloqueando a rodovia BR-163, desta vez para receberem melhorias nas estradas vicinais que liga até as aldeias.

Segundo o indígena estas melhorias são prometidas desde o inicio da pavimentação da rodovia e nunca foi realizado, as pontes estão caindo e a estrada esta intrafegável, 'vamos exigir a energia para os sem terra também', argumentou.




Sem Terra



Para o presidente  do Sintraf de Novo Progresso "Seu Dico",   o compromisso firmado com a superintendência do INCRA em Santarém de receber    na próxima terça,  02 de março, os integrantes do movimento para resolver os problemas do assentamento Terra Nossa, foi bem recebido pelos grevista, que aceitaram desbloquear a rodovia, mas continuam parceiros dos indígenas e vão permanecer no acampamento até o final, disse.
Indígenas dança para comemorar conquista novo bloqueio


 Revolta dos Motoristas

Por conta desse cenário, já há, motoristas revoltados - incendiaram pontes na entrada da cidade e bloquearam a rodovia para ninguém entrar e sair de Novo Progresso. Foi necessária a interferência da Policia Militar para conter os manifestantes. O clima esteve bastante tenso, motoristas ameaçavam  invadir  e desbloquear  pela força , neste caso haveria confronto.
Ponte incendiada pelos motoristas

leia também:Bloqueio prejudica volta pra casa da equipe do cantor Felipe Araújo



Os protestos promovidos pelos indígenas e sem terra  prejudicam o transporte de cargas e o escoamento de produtos do agronegócio oriundo do estado do Mato Grosso, a fila de caminhão com cargas de soja e milho ultrapassou os 20 quilômetros na rodovia.

A cidade de Novo Progresso foi tomada por caminhões em todo o perímetro urbano.


Foto Jorge Tadeu

Já completou 10 dias o bloqueio na BR-163, principal rodovia que liga o  Mato Grosso com o porto de Miritituba no Pará , a rodovia foi fechada em dois pontos na saída da cidade - um local se concentra os indígenas e com uma distancia de mil metros os acampados são os sem terra.



Os lideres do movimento divulgam neta quinta-feira(25), os horários que vai permanecer livre para o trafego de caminhões e veículos no local aonde esta interrompida a rodovia.



Rodovia
Em Mato Grosso, a BR-163 é responsável pelo escoamento de 70 por cento da safra de grãos do Estado, principal produtor de soja do país, e também é a única rota de chegada até o porto de Miritituba na cidade de Itaituba no Pará.



A manifestação ocorre em um período em que os trabalhos de colheita estão iniciando e são  intensos, preocupando compradores e agricultores.

Motoristas aguardem para seguir viagem


Abastecimento

Em Novo Progresso não houve registro de falta de alimentos, mas o abastecimento de combustível e carne ficou interrompido, o frigorífico único que abastece a cidade ,  esta localizado distante 25 quilômetros do outro lado do manifesto, o combustível vem de Itaituba,  caminhões estavam impedidos de passar. O transporte de lixo também ficou interrompido, o lixão esta do outro lado do bloqueio, ninguém passou pela rodovia nos ultimos três dias.





Por Jornal folha o Progresso –Adecio Piran