Seguidores

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

SAÚDE-À espera de um milagre?

A saúde pública de NOVO PROGRESSO : À espera de um milagre?
ALERTA !!Não fique Doente em Novo Progresso...

Um Médico de PREFEITO e o descaso continua, a quem devemos recorrer/
A saúde pública do Município de Novo Progresso  vive a maior crise de sua história. Pacientes nos corredores, sentados sem atendimento, desabastecimento completo de remédios e materiais básicos. No único  hospital do m
unicípio, é normal morrer pessoas por  falta de atendimento adequado.
Doentes padecem no corredor do  hospital.
Doentes com HIV são atendidos sem o mínimo de condições dignas. O risco de contaminação é grande..
É difícil descrever a situação da saúde pública de Novo Progresso. 
LEIA TAMBÉM

Novo Progresso encontra-se: sem Prefeito, Juiz e Promotor

Entretanto, se fosse possível resumi-la numa só palavra, esta seria “desumana”. A atual crise no hospital do município não possui precedentes nos últimos vinte anos. Há um caos generalizado no setor, com a ausência de leitos, medicamentos e insumos em níveis altíssimos. A maioria dos pacientes está  nos corredores, esperando vagas de atendimento  e sem tratamento digno. Por todas as unidades de saúde, é comum a falta de esparadrapos, sabão e reagentes para exames laboratoriais, por exemplo. Em Novo Progresso quando falta alimento para os pacientes os funcionários fazem uma vaquinha para comprar... E esta é apenas uma amostra dos graves problemas vividos pela população pobre na busca por atendimento médico.
Nesta quinta-feira (07) vereadores foram ver de perto o descaso, uma verdadeira vergonha para nossa gente, nosso povo.
Com um dos maiores orçamentos do Município com R$:11,960 (onze milhões novecentos e sessenta mil reais), o prefeito médico deixa faltar gaze para curativos na emergência, imagina o restante.
Mas o completo abandono da saúde pública vai além da falta de remédios e tc.. Em Novo Progresso , no interior do estado do Pará , o hospital é o mesmo que foi construído na época que tínhamos cinco mil habitantes , hoje depois de duas reformas e uma ampliação  o número de leitos no hospital da maior cidade da região  é baixíssimo e não atende as necessidades do município e cidades vizinhas. As unidades de saúde não ficam atrás e sofrem com o desabastecimento de medicamentos. “Faltam remédios profissionais e muitos leitos”. As pessoas reclamam da demora no atendimento. Muitas só conseguem marcar exames após um ou dois três meses de espera.
Cenário de guerra

O quadro caótico do Hospital Municipal , o único da cidade com um médico no Poder  , se tornou mais do que insuportável desde a posse do prefeito em exercício Dr. Joviano de Almeida.
No Hospital, enfermeiros, técnicos de enfermagem, médicos, servidores eles seguram a revolta  mas os  acompanhantes de pacientes e pacientes não aguentam mais o descaso e denunciam. “A eleição esta chegando, saúde é o que interessa!” , gritava um paciente na visita dos vereadores no hospital.
Numa das cenas mais terríveis que vivi neste local foi o dia que presenciei, a dona de casa M.de F. S. se ajoelhou pedindo piedade e atendimento para seu filho, que há 20 dias esperava por uma cirurgia ortopédica. “Piedade, pelo amor de Deus. São vidas que estão aqui dentro e precisam de respeito. É uma vergonha faltar sabão para limpar os instrumentos, quanto mais medicamentos. Enquanto isso, meu filho está numa maca dura, sem lençol, nessa espera sem fim. Quantas pessoas vão precisar morrer para que resolvam essa situação? ”, questionou a dona de casa, em depoimento ao Jornal folha do Progresso.
Para piorar, os serviços municipais de saúde também vão de mal a pior e agravam a situação do hospital.  Sem pagamento muita das vezes , os médicos trabalham pela força da vontade em respeito a profissão. Os Profissionais também não são valorizados, aguardam recomposição salarial, que até agora só promessas do prefeito  médico.
Onde estão os recursos da saúde?
O Prefeito de Novo Progresso administra uma receita superior a 11 milhões para saúde.  Mesmo assim, os recursos não chegam ao hospital, onde as pessoas agonizam esperando por atendimento.
Entretanto, o Prefeito Joviano de Almeida   tem responsabilidade nesse caos, já que a saúde pública sofre problemas semelhantes em todo o país. Como médico que é deveria fazer o melhor pela saúde conforme prometeu em campanha, e mostrar aos munícipes para que foi eleito. Ao invés de lamentar falta de dinheiro ao menos prestar contas do recurso e o destino do dinheiro da Saúde - já estaria de bom tamanho!  'Uma calamidade Pública na mão do médico Prefeito', uma vergonha!
Leia:

DESCASO NA SAÚDE – Vereadores visitam Hospital para averiguar denúncia