Seguidores

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Operação da PF tem seis investigados no Pará

Divulgação
Em mais uma fase da Operação Lava Jato, a Polícia Federal cumpre nesta terça-feira (15) mandados de busca e apreensão na residência oficial do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e dos ministros Celso Pansera (Ciência e Tecnologia) e Henrique Eduardo Alves (Turismo).

Ao todo, a PF cumpre hoje 53 mandados de busca e apreensão, sendo seis no Pará, 15 em São Paulo, nove no Distrito Federal, quatro em Pernambuco, um no Rio Grande do Norte, dois no Ceará e dois em Alagoas, todos são referentes a sete processos instaurados na Lava Jato. No estado, os nomes dos investigados e locais das apreensões ainda não foram divulgados pela Polícia Federal.
Segundo a PF, as buscas ocorrem em endereços funcionais de investigados, sedes de empresas, escritórios de advocacia e órgãos públicos com o objetivo de "evitar que provas importantes sejam destruídas pelos investigados". Ainda segundo a PF, também foi autorizada apreensão de bens "que possivelmente foram adquiridos pela prática criminosa".

A ação da PF ainda atinge o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE), apontado como interlocutor do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), nos desvios da Petrobras, do senador e ex-ministro Edison Lobão (PMDB-MA), que é investigado no Supremo Tribunal Federal pela Lava Jato, de Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro, e em endereços ligados ao senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), em Pernambuco.

Embora não seja alvo direto de um mandado de busca, o presidente do Senado também é objeto desta operação. Um dos inquéritos investigados nesta fase é o dele. A operação atinge pessoas com foro privilegiado ou ligadas a eles.

O nome da operação é referência a uma série de discursos proferidos pelo cônsul romano Cícero por volta de 63 a.C. contra o senador Catilina, acusado de tentar derrubar a República.
( Folhapress)
Leia Também:Advogado pede a cassação do prefeito de Novo Progresso. Denúncia será apreciada na próxima terça-feira pelos vereadores na sessão da Câmara
*Sede do PMDB, em Alagoas, é alvo de buscas da PF
*Amigo de Lula confessa R$ 12 milhões para o PT
*Procuradoria denuncia amigo de Lula, clã Schahin, Vaccari e mais 6 por corrupção