Seguidores

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Os prefeitos enrolados de Novo Progresso



São quatro os ex-prefeitos enrolados com a justiça  em Novo Progresso.


Madalena Hoffman (PSDB) e Tony Fabio G. Rodrigues (PRB) são os dois ex- alcaides mais recentes -  já condenados e impedidos de disputar  a próxima eleição ,  se constata, por conseguinte, um municipalismo cada vez mais desmoralizado.
Madalena

Não é a toa que os prefeitos estão em baixa e a coisa não é só em Novo Progresso , mas rola em todo país.

A pergunta dos eleitores hoje na cidade é unânime - eleitores perguntam a Madalena e Tony podem ser candidatos?

Resposta- 
Madalena Hoffman (PSDB), hoje assessora do Governador Simão Jatene, foi impedida na disputa para Deputada Estadual pela “Ausência de prestação de contas de campanhas eleitorais”, e pior teve o processo tramitado e julgado a reveria. Na rua a ex-prefeita  comenta com eleitores que vai ser candidata em 2016. Embora a justiça tenha muita brecha, neste caso a ex-prefeita já teve um pedido de registro indeferido (Impugnado) pelo TRE/PA,
a punição estende para cinco anos, então somente estará apta para eleição 2018, mas ai vem as outras questões pendentes , junto ao TCM/PA,TCE/PA,TCU, que deverão serem julgadas até lá. Enquanto este quadro permanecer:  “Madalena não poderá ser candidata para próxima eleição em 2016”.

MADALENA HOFFMANN Deputado Estadual


1. Contas julgadas como não prestadas impedem a obtenção da quitação eleitoral.



Tony
Tony- Outro ex-prefeito inelegível, Tony Fabio Gonçalves Rodrigues (PRB), enrolado até o pescoço com a justiça,  teve uma condenação recente por esbulho,  foi condenado a prisão em regime fechado, Tony também tem diversos processos tramitando no TCM/PA, TCE-PA e TCU, algumas condenações no TCM/PA, condenações que deverão passar pelo julgamento da Câmara Municipal. Caso não reverta a atual situação Tony esta inelegível por oito anos.


Juscelino

Juscelino- Após ter as contas  rejeitadas pelo TCM-PA  referentes aos exercícios financeiros de 2001, 2002, 2003, 2004,  o ex-prefeito Juscelino Alves Rodrigues (PSDB) , conseguiu que à Câmara Municipal de Novo Progresso aprovasse alguma das contas do ex-gestor, após manobra política. 
Todas as contas pessoais de Juscelino Alves Rodrigues foram desaprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado, a Câmara Municipal deve apreciar mais umas destas contas ainda este ano..


Osvaldo
Romanholi- Osvaldo Romanholi (PR), foi afastado por 180 dias e posteriormente cassado pela Câmara Municipal, o processo tramita na Justiça de Novo Progresso, casso mantida a decisão da Câmara Municipal , Romanholi (PR) ficara inelegível por oito anos.


Neri
Neri Prazeres (PMDB), primeiro Prefeito, recebeu quitação dos seus quatro anos de mandato. Tentou ser candidato em  2004 e foi impedido (registro cassado) , Neri teve registro indeferido pelo TRE-PA.
Neri se tornou inelegível para aquela eleição.  [Obs. Na época em que foi prefeito não existia a lei de responsabilidade fiscal , aprovada em 2005.]