Seguidores

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Brasil Destruido.

Em ano de escândalos bilionários, milhões de trabalhadores terão Natal sem emprego e sem dinheiro

Imagina como vai ser em 2016, 2017 e 2018?
 
Culpados- Os Corruptopatas que destroem o Brasil, acabam com a vida e com os sonhos dos brasileiros... Vai ficar por isso mesmo?

Somando os 8,4 milhões de desempregados registrados até julho, mais o 1,9 milhão registrado em Agosto, o 1,6 em setembro, já temos quase 12 milhões de pessoas sem ter trabalho no Brasil.

Os dados divulgados pelo governo, junto às velha mídias, mostram total inconsistência, e por isso, suspeita-se que o número de desempregados seja quase 13 milhões.

Número de carteiras cai


O número de empregados com carteira assinada no setor privado caiu 2% na comparação com o trimestre de março a maio de 2015, 425 mil pessoas a menos. A queda foi maior na comparação com o mesmo período do ano passado, de  cerca de 1,1 milhão de pessoas.

Em um ano, aumentou o número de empregadores (7,3%) e de trabalhadores por conta própria (4,4%).

Indústria perde trabalhadores

Por atividade, o número de trabalhadores da indústria em geral caiu 1,7% (menos 223 mil pessoas) na comparação com o trimestre de março a maio, e ficou estável nas demais.

Em relação ao trimestre encerrado em agosto de 2014, transporte, armazenagem e correio (3,8%) e alojamento e alimentação (4,6%), tiveram aumento no número de trabalhadores. Indústria em geral (-3,5%) e construção (-,2,9%) tiveram queda. As demais ficaram estáveis.

Rendimento médio cai a R$ 1.882

O rendimento médio real (ajustado pela inflação) dos trabalhadores foi estimado em R$ 1.882, caindo 1,1% na comparação com o trimestre de março a maio de 2015, quando era de R$ 1.904.

O rendimento subiu na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, quando era de R$ 1.864, mas o resultado é considerado estável pelo IBGE.

Na comparação com o trimestre de março a maio, tiveram redução no rendimento os trabalhadores domésticos (-2,7%) e os empregados no setor privado com carteira de trabalho (-1,8%).

Já frente ao trimestre de junho a agosto de 2014 todas as categorias tiveram estabilidade em seus rendimentos.

IBGE vai acabar com duas pesquisas de emprego


No ano que vem, o IBGE vai acabar com outras duas pesquisas de emprego que divulga mensalmente: a PME (Pesquisa Mensal de Emprego) e a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário. Segundo o instituto, a Pnad Contínua é mais abrangente que as outras duas. (Com informações de UOL, editado por FCSBR) (Com fotos de O Tempo e Internet/Arquivo)