Seguidores

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Eleições Municípais



Partidos têm dificuldades para recrutar nomes para as eleições de 2016
Divulgação
A poucos dias do prazo para filiações, legendas encontram dificuldade para atrair novatos que queiram disputar cargos na próxima eleição em 2016.
Os partidos que já se organizam para a disputa das eleições municipais do ano que vem têm tido dificuldades para encontrar nomes novos – gente que nunca disputou cargo eletivo – com bom potencial de votos para formar as chapas de candidatos a vereador. Essa dificuldade se deve ao desinteresse das chamadas “pessoas de bem” em entrar para a militância partidária, em função do desgaste vivido pelos ocupantes de cargos eletivos diante dos escândalos de corrupção, denúncias e prisões de figuras que já foram consideradas lideranças importantes na política nacional, envolvidos sobretudo tudo na Operação Lava-Jato, que apura desvios milionários na Petrobras.
Em Novo Progresso nada é diferente, os velhos caciques ser reviram no dia , para convencer novos filiados, na maioria  levam na cara o não, sem ter como reclamar. 

Os três maiores partidos do Município que elegeram  maioria na Câmara Municipal - PMDB elegeu quatro saiu um ficou com  três vereador, PSDB elegeu dois saiu um ficou com um vereador e  PT com dois somaram juntos a maioria na estrutura do legislativo progressense. "Estes três partidos com suas coligações elegeram 88% do legislativo em 2012. Hoje enfrentam outra realidade, o descrédito dificulta novos adeptos"...

Pelas regras atuais, termina na sexta-feira que vem o prazo para as filiações partidárias para quem quiser se candidatar a prefeito ou vereador no pleito de outubro de 2016. A Câmara dos Deputados aprovou projeto que prorroga o prazo das filiações para até seis meses das eleições. Mas, a alteração somente será feita se o projeto de lei for sancionado pela presidente Dilma Rousseff (PT) até o dia 2. Na dúvida, os partidos já iniciaram a mobilização para formar chapas, considerando as normas em vigor.

“O que se percebe é uma desmotivação do cidadão comum em querer participar da vida política. Isso é consequência da descrença na política”...... Leia mais AQUI