Seguidores

quarta-feira, 27 de março de 2013

Trajetoria "Aurelio PInto"

“Tive muitos amigos e vexame na política”

Ex-Vereador faz uma retrospectiva de sua vida como político em Santarém

Aurelio Pinto
Ele foi Vereador até o dia 31 de janeiro de 1992, e conta, com exclusividade à nossa reportagem, que por defender o povo chegou a passar vexames, como no dia em que deu parecer contrário à retirada das famílias do bairro do Aeroporto Velho, na área ao redor do prédio atual da Câmara Municipal de Santarém. “Antes existia a ideologia e, nós tínhamos essa ideologia”, assim disse Aurélio Carneiro Pinto, que foi Vereador santareno de 1977 até 1992. E nestes 16 anos de vida pública ele não ganhou nada? “As pessoas me perguntam o que eu ganhei durante todo esse tempo, somente amizades. Até hoje eu tenho amigos sinceros”, ele conta com orgulho sua lição de honestidade.

“Quando eu saí do cargo de Vereador, no dia 31 de janeiro de 1992, vendi o patrimônio que eu possuía, um barraco no município de Placas, mudei para o município de Novo Progresso e o dinheiro usei para sustentar a mim e minha família” , conta Aurélio Pinto. O ex-Vereador conta que para chegar em Novo Progresso teve que contar com ajuda de um amigo: “Lourinho, que mora na Matinha. Mas eu não posso me reclamar, porque pelo menos eu fiz muitos amigos”, conta o ex-parlamentar. “Em Novo Progresso, eu cheguei, depois de dez anos trabalhando eu já tinha como me sustentar”, fala o ex-Vereador. O que a política me deu? “Somente amigos e vexame”, ele revela.
Vexame: Aurélio Pinto abre as janelas do passado e recorda de vários projetos que eram contra o povo e a favor de meia dúzia de interessados. “Como foi o projeto da área do Aeroporto Velho, que circunda a Câmara Municipal, e que veio para ser aprovado na Câmara, criando a Consterra e dando direito da empresa fazer o que quisesse com a área; na época em que muitas famílias moravam na área. Sem saber o destino dessas famílias, eu era relator da Comissão e dei parecer contrário, e até hoje talvez os moradores do bairro não saibam, mas Deus sabe”, enfatiza o ex-parlamentar municipal.
História: Com a experiência de quem passou por momentos da história política santarena, Aurélio Carneiro Pinto lembra, quando estreava na política, no ano de 1973, o prefeito era Paulo Lisboa, depois assumiu Antônio Guerreiro, todos nomeados pelo Governo do Estado. Até que chegaram as eleições diretas, com Ronaldo Campos eleito diretamente pelo voto popular, no ano de 1982: “Mas eu fui oposição durante muito tempo, pelo MDB, depois PMDB”, conta o ex-Vereador, que também foi presidente do PMDB, no início da criação do partido.
Fonte: RG 15/O Impacto