Seguidores

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

CONFRONTO

IBAMA E MADEIREIROS NÃO SE ENTENDEM NO PARÁ
Dois casos distintos envolvendo IBAMA com madeireiros em duas cidades do Pará movimentou a semana e não tem prazo para terminar. Leia abaixo
O Ministério Público Federal enviou hoje pedidos de apoio urgente para a Polícia Federal e a Polícia Militar do Pará, para conter madeireiros que atiraram ontem (2) contra fiscais do Ibama, policiais militares e indígenas que faziam a retirada de madeira apreendida dentro da Terra Indígena Alto Rio Guamá, em Paragominas, a 500 quilômetros de Belém.
A madeira foi apreendida no ano passado depois de ser extraída ilegalmente de dentro da Terra Indígena, mas só agora o Ibama pôde fazer cubagem, para posterior retirada. Os policiais e fiscais foram surpreendidos pelos madeireiros, que atiraram contra a equipe. Não há notícia de feridos, mas dois policiais militares e o índio Valdecir Tembé estão desaparecidos. Continue lendo AQUI
Cenas da confusão envolvendo fiscais do Ibama e madeireiros insatisfeitos com ações de fiscalização em Dom Eliseu (PA)
Fotos:Folha de São Paulo


OUTRO CASO
O outro incidente, desta vez em Nova Esperança do Piriá, na região de Paragominas, também ocorreu no sábado (1º). Fiscais do Ibama e um índio foram atacados a tiros no momento em que os agentes federais iniciavam ação de retirada de uma carga de madeira apreendida no ano passado e que havia sido extraída irregularmente da Terra Indígena Alto Rio Guamá.Continue lendo AQUI
 
REFORÇO
 

Cenas da confusão envolvendo fiscais do Ibama e madeireiros insatisfeitos com ações de fiscalização em Dom Eliseu (PA)
Fotos:Folha de São Paulo
Situação aconteceu durante o final de semana. Ministério Público solicitou apoio da Polícia
Após o conflito entre madeireiros, indígenas e fiscais do Ibama que aconteceu durante o final de semana, a Polícia Federal, atendendo uma solicitação do Ministério Público Federal, enviou uma equipe de policiais para a região do Alto Rio Guamá.
De helicóptero, uma equipe foi ao local e deve realizar um levantamento da situação para confirmar ou não o desaparecimento e agressão a funcionários federais da FUNAI, conforme denúncia junto aquele orgão federal. Continue lendo AQUI