Seguidores

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

CAMPANHA ELEITORAL

Confundindo o público e o privado
 

Estão usando dinheiro do contribuinte para suas campanhas eleitorais.
Assim, prefeitos  e outros políticos já dispõem, na prática, de financiamento público de campanha, embora por vias tortas. Essa distorção é possível porque os mandatarios não observam uma clara distinção entre suas funções públicas e seus interesses particulares.
Não pode ser considerado apenas "uso" e nem pode existir "confusão" do dinheiro público com o dinheiro privado - é crime. O uso de recursos pagos com dinheiro público, seja ele pessoal ou material, é um abuso e uma afronta a quem paga a maior e mais oculta tributação do mundo. É improbidade e prevaricação cujos autores deveriam ser denúnciados pelo MP e processados pelo Poder Judiciário. Entretanto, como a justiça brasileira é cega, muda, surda e deficiente, estes "nobres senhores feudais" continuam impunemente sangrando os recursos públicos para atender seus próprios interesses e manutenção do poder. Ainda mais numa eleição onde quem está no poder tem amplas vantagens sob aquele que postula o poder. É uma eleição conntaminada pela imparcialidade e voto a cabestro da justiça.