Seguidores

terça-feira, 15 de maio de 2012

Meio Ambiente

Efeitos das políticas de preservação

Encontrei um texto na revista Ciência Hoje on line, escrito por Mariana Rocha onde aponta os efeitos das politicas de preservação e afirmas que medidas adotadas pelo governo brasileiro levaram a uma significativa queda no desmatamento da floresta amazônica, ressaltando que a fiscalização na área ainda é insuficiente. Continue lendo AQUI
Política pró-conservação?
As imagens registradas por satélite evidenciam uma queda considerável no desmatamento da floresta amazônica. Mas o biólogo Jean Remy Guimarães, autor da coluna ‘Terra em transe’na CH On-line, ressalta que elas não são suficientes para o monitoramento efetivo na região.
Guimarães: As imagens de satélite não são suficientes para o monitoramento efetivo na região
“Ter os dados do satélite é ótimo, mas é preciso também fazer a fiscalização em solo, pois muitas áreas ainda são desmatadas”, diz. E completa: “O estudo dá a impressão de que o governo federal está atuante, quando na verdade ele é o principal ausente.”
Em relação à política ambiental brasileira, o biólogo lembra ainda que o novo Código Florestal – que foi aprovado recentemente na Câmara dos Deputados e agora aguarda sanção presidencial – pode ser prejudicial para a floresta amazônica.
Segundo Guimarães, o novo código, que, entre outros aspectos, desobriga pequenos agricultores a reconstituir a área desmatada, pode ser culpado por aumentar quase dez vezes os índices de desmatamento na Amazônia entre abril de 2010 e abril de 2011.
Ele explica que, embora o documento ainda não esteja em vigor, sua divulgação pode ter aumentado a devastação de áreas frágeis da floresta. "O novo código é um exemplo de política que atua em favor do desmatamento e sua possível aprovação cria expectativa sobre quem desmata a floresta”, completa.Continue lendo AQUI