Seguidores

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Chuvas atrapalham obras da BR-163

Os motoristas que têm trafegado nos últimos dias pela BR-163 em direção ao Estado do Mato Grosso, têm enfrentado dificuldades no trecho compreendido entre o Município de Novo Progresso até as localidades de Alvorada da Amazônia. Eles reclamam do atraso das obras e apontam este trecho da rodovia como o pior de toda a 163, com muitos buracos, que estão sendo tapados apenas com barro e piçarra.
Segundo o motorista de um caminhão boiadeiro A.L, que toda semana realiza em média duas viagens transportando bovinos , já houve ocasião que por pouco não perdeu toda a carga, pelas condições da estrada entre Novo Progresso e Vila Isol, ocasião em que ao desviar de um buraco danificou uma peça e teve que esperar por mais de oito horas até o conserto do caminhão.
“Quem trafega constantemente por este trecho sabe das dificuldades e limitações que passamos”. Acredito que, a empresa já deveria ter concluído o trecho, pelo tempo que iniciou a obra são pouco mais de dois anos e não tem se quer um trecho pronto, toda a obra está em pedaços, e agora com as chuvas e a execução desta obra está comprometida, quando teremos a estrada revitalizada com melhores condições de tráfego? Por várias vezes já pensei em desistir do frete, pelo valor cobrado nem sempre compensar em razão da manutenção dos veículos e a troca constante de peças”, afirmou.
De acordo com o Motorista, o trecho que sai do Mato Grosso rumo ao estado do Pará , que antes configurava como um dos piores locais, está em boas condições de tráfego, uma vez que está quase totalmente recuperado, com asfalto de qualidade.
De acordo com o diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DENIT), a obra já deveria esta pronta neste trecho e a empresa foi notificada pelo atraso.
A equipe do Jornal Folha do Progresso, andou no percurso e pode observar que em Outubro/Novembro foi registrado um volume de chuvas superior a 130 milímetros, dificultando a continuidade dos serviços e que máquinas se encontram paradas no trecho sem condições de trabalhar pelo excesso de água. O que está sendo feito pela empresa Três Irmãos responsável pela obra é um reparo paliativo na rodovia, com tapa-buraco dos trechos mais críticos e manutenção nos desvios.
Um exemplo é o trecho Novo Progresso/Aeroporto onde há dois meses máquinas trabalham para entregar o aterro da ponte sobre o rio disparada e até o momento ainda não foi concluso.(foto).
O que preocupa os motoristas é que caso as chuvas persistirem a cair nesta intensidade que é normal nesta época os desvios piorem e ai fica difícil para trafegar. Fonte: Redação Folha do Progresso

Maquinas da empresa três irmãos